Seguidores

terça-feira, 15 de agosto de 2017

A Sedução Mais Sombria ( #9 Serie Senhores do Submundo ) - Gena Showalter

Eu estava muito, muito muito ansiosa pra ler esse livro. Curiosa pra saber sobre Paris e seu demônio da Promiscuidade, que nunca pode ter a mesma mulher mais que uma vez, ficando louco por uma unica mulher, e não me decepcionei... Adoreiiii esse livro.

Paris que é todo força e sedução caindo de amores por uma mortal, que agora é imortal, que esta possuída pelo demônio da Ira, ficou lindo demais apaixonado, todo cuidadoso, dizendo que ama essa mulher que ele tinha tudo pra odiar.

Passei um perrengue danado lendo esse livro, porque muitos mistérios sobre Kane são mostrados nesse livro. Zacharel ( o anjo mala ) me deixou nervosa com sua ajuda ( que pra mim era totalmente duvidosa ). Ashlyn sofrendo e Maddox pirando, mas depois rindo ate os ossos foi lindo matar as saudades deles. Cronus... ai que ódio desse Deus fdp de uma figa. Mesquinho, mau, mentiroso, to eu mesma com vontade de ir a Titânia e matar esse canalha viu gente rrss.

E Legião, que dó da demoniazinha. Fiquei com raiva dela em alguns momentos, mas nesse livro me deu dó dela. Galen é outro que eu mesma to querendo enfiar uma faca mágica na sua pança viu... eita caçadorzinho xexelento de ruim kkkk

Agora Sienna, no que se transformou a mortal. Dura, firme, amorosa, determinada e apaixonada. Adorei o par que ela fez com Paris, ficou o casal perfeito, cheio de química. com muito amor um pelo outro. Deu uma dozinha do sofrimento dele quando ela não estava por perto, ela é sua energia vital.  E esse final... meu Deus, mais surpreendente impossivel. Anya sempre será minha favorita, mas fiquei de queixo caído com a força de Sienna. Achei tão lindo quando ela diz pra Zacharel que Paris é a escuridão que ela precisa, por isso ela assimilou um pouco dessa escuridão, e em contra partida, ela é a luz que ele precisa... Ahhh que fofo.

  Ela mereceu esse final surpreendente, forte e cheio de atitude. Não vou ficar escrevendo muito porque muitas coisas aconteceram nesse livro, que com certeza vai mudar e muito a historia dos próximos livros, então preciso segurar os dedinhos e a ansiedade e pensar no que me espera no livro do Kane


Essas série é assim :
  • 00 - Fogo mais sombrio - Geryon e Kadence
  • 01 - A Noite mais Sombria - Maddox e Ashlyn 
  • 02 - O Beijo mais Sombrio - Lucien e Anya ( minha mocinha favorita até agora ) 
  • 03 - O Prazer mais Sombrio  - Reyes e Danika 
  • 3.5 - A Prisão mais Sombria - Atlas e Nike 
  • 4.0 - O Sussurro mais Sombrio - Sabin e Gwen 
  • 4.5 -  O Anjo mais Sombrio - Lysander e Bianka 
  • 5.0 - A Paixão mais Sombria - Aeron e Olivia 
  • 6.0 - A Mentira mais Sombria - Gideon e Scarlet 
  • 7.0 - O Segredo mais Sombrio - Amun e Haidee 
  • 8.0 - A Rendição mais Sombria - Strider e Kaia 
  • 9.0 - A Sedução mais Sombria - Paris e Sienna 

Compre na Amazon 



Sinopse : www.skoob.com

Um guerreiro imortal que deseja conquistar apenas uma mulher… Paris era um guerreiro imortal possuído pelo demónio da Promiscuidade e com um atrativo irresistível, o que também supunha uma carga pesada. Todas as noites devia ir para a cama com alguém diferente se não quisesse debilitar-se até à morte. E a mulher que desejava mais do que qualquer outra estava completamente fora do seu alcance ou, pelo menos, era o que pensava nesse momento. Sienna Blackstone tivera no seu interior, até há bem pouco tempo, o demónio da Raiva, que a atormentava com a constante necessidade de castigar todos os que a rodeavam. Contudo, nos braços de Paris, aquela jovem vulnerável e insegura ia encontrar uma paixão e uma paz desconhecidas para ela. Até que rebentou uma batalha entre os deuses, os anjos e as criaturas do Submundo que poderia separá-los para sempre…
ESSA EDIÇÃO É DE PORTUGAL,

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Um mais Um - Jojo Moyes

Quanto mais eu vivo, menos em acaso eu acredito, ai eu leio Jojo Moyes e essa certeza só aumenta viu gente... Realidade ou Ficção, seja em um ou no outro, nadaaaaa de acasos.

Qual a chance de um ricaço nerd cruzar a vida de uma mãe solteira de dois filhos, um cachorro enorme, com uma vida corrida e cheia de falta de tempo por trabalhar demais? Via de regra, quase nenhuma, ou bem pequena ne. Pois é, mas aqui nessa historia o que a gente acha que é impossível pode sim acontecer. E Jojo nos conta essa historia de maneira tão brilhante, que cada capítulo se torna uma paixão ainda maior.

Com capitulos contados pelos 4 personagens principais ( Jess, Ed, Nicky e Tanzie ) vamos adentrando esse mundo onde nada que seria possível, vai se encaixando perfeitamente, ao ponto de quando li o ultimo capítulo quis muito que tivesse mais, saber mais sobre esses quatro personagens encantadores. Mais uma obra apaixonante.

o começo do livro me deixou meio confusa, porque eu não entendia direito quem era quem e o que era o que, mas depois de 3 ou 4 capitulos, onde a historia vai se desenrolando tudo vai se encaixando.

Jess é mãe da adorável Tanzie ou Constanza, e do Nick, um garoto bemmm nerd, retraído, mas que sem sombra de dúvida tem uma historia pra contar. Mas Jess trabalha muito. Depois de ter sido largada pelo marido e passar 2 anos lutando arduamente pra sustentar sua familia, ela se vê numa situação, ou em algumas situações onde ela jamais poderia sonhar. E, quando Tanzie recebe uma proposta quase irrecusável para estudar num dos melhores colégios de Londres, ela se ve tão perdida porque, apesar de querer muito dar o melhor para a filha, ela não tem a menor condição financeira. Então Jess toma uma atitude movida pela impulsividade, mas o que ela jamais esperaria era que tudo, ou quase tudo daria errado e que Ed apareceria no pior momento do seu dia.

Ai quando Ed entra na vida de Jess lhe oferecendo uma carona, ela mesmo tentada a recusar, aceita. E é ai, que essa linda historia começa.

Com tudo pra dar errado, a  viagem de carro com 2 crianças, um cachorro e uma Jess inquieta se torna o maior must da vida de Ed, que ta com a corda no pescoço por problemas no trabalho, na sua inexistente vida amorosa, pervcebe que ao lado desses totais desconhecidos, foram os dias em que ele esteve e ficou mais feliz.

Jess é uma mulher de fibra, que nunca se deixa abater ( ou quase nunca, porque quando uma determinada situação a fez sofrer, ela realmente se entregou ao desespero ), mas sempre age positivamente, ensina valores reais sobre conduta, comportamento, carater à seus filhos, Ed percebe que ela era tudo o que ele precisa na vida, mesmo que nem sequer soubesse disso.

Emocionante mas sem aquele derramamento de lágrimas, tem sim momentos onde o cisco no olho vai mais fundo e a gente se pega fungando, mas o livro todo e de uma delicadeza sem igual. E jojo só se firmando como uma das minhas autoras favoritas, mesmo.

Adorei !!!!



Sinopse : www.skoob.com.br 

Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou.

Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno gênio da matemática, tem outro problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá?

Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de praia por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à primeira vista. Mas quando Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em casa, em segurança. Em parte agradecido, mas principalmente para escapar da pressão dos advogados, da ex-mulher e da irmã — que insiste em que ele vá visitar o pai doente —, Ed oferece uma carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio.

Começa então uma viagem repleta de enjoos, comida ruim e engarrafamentos. A situação perfeita para o início de uma história de amor entre uma mãe solteira falida e um geek milionário.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Infiel - Ayaan Hirsi Ali

Quando peguei esse livro pra ler, fiquei muito curiosa, porque recebi a dica de um grupo de leitura do Facebook, e como sou fã de livros/filmes que contam ou se baseiam em fatos reais, pensei, é esse. Mas em nenhum momento eu imaginava o que leria nas paginas dessa obra.

Ayaan nos conta sua trajetória desde sua infância na Somália, com uma mãe que  era muito infeliz e muito abusiva. Conta que apanhava muito por nada, como ela e sua irmã agiam e tinham personalidades completamente diferentes.

A confusão dos clãs da qual nasciam e tinham que honrar. As crianças somalis quase precisavam decorar sua arvore genealógica pra não cair em mãos inimigas.

A fé em Alá levada ao pé da letra, onde beirava o exagero e o fanatismo, onde nada se pode, tudo é impróprio, impuro ou condenável.

Como a mulher tem ZERO de importância naquela cultura. Opinião de mulher e latido de cachorro eram interpretados exatamente da mesma maneira, ou seja, qualquer coisa e nada é igual. Por isso homens rezam separado das mulheres, por isso mulheres são o tempo todo subjulgadas, escravizadas, se tornam saco de pancada de muitos homens, que não tem respeito nenhum por elas. Elas apanham sem dó, pelo simples fato de erguerem os olhos. São estupradas com ou sem consentimento. Com porque seus maridos não demonstram um pingo de cuidado com elas em suas noite de nupcias arranjadas, e sem porque os homens simplesmente se acham no direito de tomar pra eles o que eles acham que podem.

Ai fico pensando, as moças que se julgam feministas deveriam estudar bem a fundo esse tipo de historia, porque se aqui a gente tem motivo pra brigar por nossos direitos eeee deveres, num lugar como esse que Ayaan nos descreve é surreal achar que nós, mulheres, passamos por tudo isso. Toda vez que eu lia nesse livro sobre o que é a tal da clitorectomia, feita nas meninas ainda, por pessoas sem nenhum conhecimento, sem nenhum cuidado, pela simples tradição de alegar que assim as mulheres não sentiriam prazer quando chegasse a idade onde tudo é muito normal acontecer, como o desejo pelo outro, eu tinha que respirar gente, juro, porque é surreal imaginar, e mesmo sabendo que la é muito comum, cheguei a chorar lendo o relato do que fizeram com Ayaan, sua irmã e tantas outras meninas Somalis, africanas e de tantas outras culturas.

Mas Ayaan nunca quis isso para sua vida. Desafiando pai, irmão, clã, ela arquiteta um plano de fuga, depois de um casamento arranjado, onde ela não queria, ela planeja sua liberdade. Quando ela diz que nasceu da sua mãe em 1969 e depois nasceu no dia de sua fuga para Holanda, em 1992 foi emocionante. A forma como ela desembarca a principio na Alemanha e depois segue para fazer sua vida na Holanda, estudar, se tornar uma cientista politica formada na universidade, se tornar uma pessoa que pode auxiliar outras mulheres, sendo e dando voz para alertar o mundo do que sofreu naquele pais miserável, onde por conta da disputa de poder, toda uma nação paga o pato pela ganância de homens que querem poder a todo e qualquer custo. E, geralmente, o povo, pobre, é quem paga o preço bem alto por essa disputa absurda ne.


¨A minha bússola moral estava dentro de mim, não nas páginas de um livro 
sagrado ¨ 


Só que a vida de Ayaan nunca vai ser de sossego viu gente. Quando ela se vê vivendo num pais onde ela acredita ser livre, onde pode fazer o que quer, cumprindo claro, seus deveres e direitos de cidadã, mas ai ela arranja pra si outro problemão, quando começa a se expressar verbalmente, contando sobre o absurdo que o islã impõe à seus fieis, principalmente depois do 11 de Setembro, quando ela resolve começar a ter voz e dar voz aos seus questionamentos e certezas daquilo que viveu. A partir dai Ayaan conhece gente importante que apoia sua casa, e gente importante que se incomoda muito com seu posicionamento, e passa a ser ameaçada de morte, precisando de escolta, segurança particular e seu direito simples de ir e vir no pais que a abraçou como cidadã passa a ser ameaçado.


Durante a leitura desse livro, fui atras de videos, e mais historias sobre Ayaan, e a cada novo video e cada nova leitura sobre sua historia, não sabia se ficava triste, com raiva, com nojo do que era feito, ou feliz por ela ter passado por tanta coisa e sobrevivido. Mas quantas não tem a mesma iniciativa, a mesma sorte. è desesperador pensar nisso, O que no inicio da vida de Ayaan era fato e certo, a crença em Ala, a fe nas suas palavras e no que o Alcorão passava como mensagem, tornou-se pra ela um peso imenso, ao ponto de faze-la não crer mais em Deus, e falar em voz alta pra que ela mesma acreditasse que tudo o que ela aprendeu não serviu de nada. ( ai pensei comigo, o homem interpreta as palavras que estão na Biblia, Alcorão ou seja la que livro sagrado existir, escrito pelo homem, e essa interpretação da forma que o homem deseja, pode causar muitas situações proveitosas e úteis, ou, como no caso de Ayaan, faze-la perder completamente a fé, muito triste )


Aprendi tanta, mas tanta coisa, que cada página lida eu ficava pensando, caramba, a vida de nós todos, que vivemos num pais livre, é tão boa e não damos um pingo de valor. Fiquei com os olhos marejados em muitos momentos da narrativa de Ayaan, e me senti muito abençoada por viver num pais cheio de problemas, sim, mas livre, democrático, e apesar de estar vivendo um momento podre com corrupção, e tudo o que estamos passando, temos o direito de ir e vir, direito de fazer nossas próprias escolhas.

Aqui no Wikipédia tem algumas informações sobre a vida de Ayaan, caso voce, assim como eu, queria saber mais da vida dessa mulher muito guerreira

No fim das contas, finalizando esse livro, fico pensando, o mais importante nisso tudo que Ayaan passou, e não foi pouca coisa não, ela conseguiu fazer muita gente pensar, conseguiu mudar algumas leis, conseguiu que as somente olhassem para esse povo que sofriam tanto, e mesmo que nada pudessem fazer, pelo menos não julgassem, não ignorassem, fingindo que nada acontecia ( mulheres são mortas por suas proprias familias gente, e fica por isso mesmo, são absurdos que jamais podemos imaginar.


¨Não quero que meus argumentos sejam considerados sacrossantos pelo fato de eu ter tido essas experiências horríveis; não as tive. Na verdade, a minha vida sepre foi marcada por uma enorme sorte. Quantas moças nascidas em Mogadiscio, em novembro de 1969, ainda estão vivas?¨ 


No Youtube tem muitos Videos em que a Ayaan fala sobre sua vida, sua religião, suas opiniões e muito mais



Sinopse : www.skoob.com.br

Em novembro de 2004, o cineasta Theo van Gogh foi morto a tiros em Amsterdã por um marroquino, que em seguida o degolou e lhe cravou no peito uma carta em que anunciava sua próxima vítima: Ayaan Hirsi Ali, que fizera ao lado de Theo o filme Submissão, sobre a situação da mulher muçulmana. E assim essa jovem exilada somali, eleita deputada do Parlamento holandês e conhecida na Holanda por sua luta pelos direitos da mulher muçulmana e suas críticas ao fundamentalismo islâmico, tornou-se famosa mundialmente. No ano seguinte, a revista Time a incluiu entre as cem pessoas mais influentes do mundo.

Como foi possível para uma mulher nascida em um dos países mais miseráveis e dilacerados da África chegar a essa notoriedade no Ocidente?


Em "Infiel", sua autobiografia precoce, Ayaan, aos 37 anos, narra a impressionante trajetória de sua vida, desde a infância tradicional muçulmana na Somália até o despertar intelectual na Holanda e a existência cercada de guarda-costas no Ocidente. É uma vida de horrores, marcada pela circuncisão feminina aos cinco anos de idade, surras freqüentes e brutais da mãe, e um espancamento por um pregador do Alcorão que lhe causou uma fratura no crânio. É também uma vida de exílios, pois seu pai, quase sempre ausente, era um importante opositor da ditadura de Siad Barré: a família fugiu para a Arábia Saudita, depois para a Etiópia, e finalmente se fixou no Quênia.





Encontrei no Youtube a primeira parte do FIlme Submissão do cineasta Theo van Gogh, ( Theo foi um amigo proximo de Ayaan, e morreu assassinado justamente por conta de ter rodado esse curta metragem ) eu particularmente, acho muito angustiante esses depoimentos porque me sinto la, vivendo a situação, mas é muito válido saber que nossa vida é tão boa, e que precisamos aprender a dar mais valor ao que temos, principalmente a liberdade.